Inicial / Opinião / Câmara votará projeto que torna crime ser hétero

Câmara votará projeto que torna crime ser hétero

Diante de tantas reformas para serem votadas a câmara dos deputados também encontra tempo para votações de cunho social, Rodrigo Maia garantiu que será votado ainda esse ano o projeto de lei 6924/11 de autoria da Senadora Gian Williams (PT-AC) que torna crime ser hétero. O projeto traz importantes avanços para o combate de homemfobia que, infelizmente, ainda é uma realidade bastante comum do nosso País. A ideia consiste em incentivar as pessoas de forma obrigatória a se tornarem gays, ou pelo menos bissexuais. Segundo Gian, é importante que de forma voluntária mas obrigatória as pessoas entendam que o futuro da humanidade é ser gay, querendo elas ou não.

A bancada gayzista chavista está articulando fortemente para conseguir os votos necessários para aprovar o projeto, serão necessários 244 votos na Câmara e 11 no Senado. A proposta ganhou força ao ser integrada ao mega pacotão de medistas progressistas, dessa forma, com apenas uma votação será possível aprovar a criminalização do heterossexualismo, o aborto e a liberação da maconha.

A proposta, além de torna crime ser hétero, prevê multa e prisão para homens que forem flagrados tendo com saliências com mulheres, com direito a agravante de 100% da pena se a mulher for loira com mais de 1,80m de altura. A proposta prevê penas mais leves para mulheres e homens negros, a justificava das penas mais leves é para equiparar com a divida histórica que os mesmos possuem em contra partida da sociedade branco-homem-heteronormativa.

A comunidade internacional de movimentos LGSBT elogiou a proposta e afirmou que só se poderá acabar com a homofobia o dia que todos forem gays, e por isso a lei seria um grande avanço não só para o Brasil como para todo o mundo. Você pode acompanhar a votação em tempo cruzeiros no site oficial da câmara

Sobre Lucas Brugneroto

Lucas Brugneroto é correspondente internacional no Brasil para o Jornal Internacional e para a TV Azteta do México. Com visão política bem definida, votou em Dilma no primeiro turno, Aécio no segundo turno e Michel Temer no terceiro turno das eleições presidenciais de 2014. É a indicação pessoal do Senador Renan Calheiros para assumir uma vaga como jornalista de nosso site.

Deixe uma resposta